30 novembro 2009

Em cartaz...

Olá galera,
entrar em cartaz no espaço Xisto a peça Larissa e seus amigos Mágicos, onde será discutido como a tv retira a criança do convívio do brincar.
O que é mais legal é o fato de trazer na linguagem infantil a discussão da tv tornar a criança "zumbi".
Os ingressos custam R$10,00(inteira) e estreia em 05/12/2009 vai a ter 13/12/2009, para mais informações acessem ibahia
beijos

25 novembro 2009

Consciência Negra na Bahia....


Passada a semana da consciência negra na Bahia faço aqui a minha reflexão, onde me questiono muito de todo esse movimento para a institucionalização do feriado da consciência negra, que esta tendo aquele reboliço todo na cidade e no país.
Primeiro me faço a crítica se é mesmo de mais um feriado nacional que nós negros precisamos para reverter todo o processo histórico de renegação, e a falta de oportunidades desde que a princesa Isabel foi obrigada pela Inglaterra a nos " libertar" para tornaremos mercado consumidor, onde fomos jogados na sociedade sem estudo, sem dinheiro, sem o que vestir e onde morar, que para satisfazermos necessidades básicas continuamos nas fazendas sendo mão de obra barata e e morando em terras invadidas e se aglomerando nestas terras formando as nossas atuais favelas.
Então continuo me questionando se é de fato de mais um feriado nacional, onde sabemos que vai virar só mais um dia de festa para a sociedade sem muitos significados reais para marcar a data.Sem falar que quando nosso governantes institucionalizar o feriado a grandes possibilidades das politicas públicas começarem a fraquezar, pois nossos governantes vão ter a impressão e acreditar que já fizeram tudo por nós, inclusive um feriado.
Esse é o grande o risco que corremos, pois se quando fazemos passeatas e protestos mesmo assim a sociedade e o próprio negro não identifica-se com a questão, imaginem só se virar fériado.....

20 novembro 2009

Tv e Video


Os seminários que estão acontecendo nas aulas dia de quarta estão ótimos, mas confesso que o seminário de tv e vídeo me foi de grande estima por vários motivos e dentre eles, a televisão brasileira.
Já tinha percebido o quanto as nossas programações diárias na TV aberta é um lixo que esta formando opiniões e em grande parte distorcendo muitos valores morais.
Fico triste ao ver que as programações de domingo se restringe em mostrar o sexo explicito de uma forma muito normal, além de formar conceitos sobre homossexualidade, traições entre casais de uma forma como se aquilo fosse muito normal.
Também me assusta ver mulheres nuas na TV como se aquilo fosse belo, normal, ou seja, é coisa da modernidade. Tudo hipocrisia, pois só é mais uma forma de vender audiência, por isso não consigo entender quando a midia vai a uma universidade entrevistar alunos, afim de sondar o que aconteceu quando uma aluna foi a faculdade de mini-vestido.
A própria midia coloca como normal em programas de grande audiência e depois ela mesma vai crucificar as alienadas da vida que não procuram pensar antes de executar o que ver e escuta como normal.
Acredito hoje que devemos sim discutir com os nossos futuros alunos, principalmente os de ensino fundamenta I questões como essas, pois devemos construir a consciência critica desde muito cedo, para que nos espaços em que estamos inserido possamos modificar aquilo o que a sociedade hoje tem como muito normal. Pois a impressão que tenho hoje é que a sociedade depois de muito evoluir estar retrocedendo em suas analises críticas.

29 outubro 2009

Internet e educação...

Olá galera,

aproveitando o embalo dos trabalhos feitos em sala, andei pesquisando e achei na internet esse artigo deêm uma olhada esta legal.....


Artigo: O papel da Internet no futuro da educação

intereducation1

Neste artigo, Luciana Allan, doutoranda na Faculdade de Educação da USP, afirma que incluir estratégias de ensino que façam uso da internet significa preparar o estudante para o mundo tecnológico e científico, aproximando as instituições de ensino do mundo real e contextualizado.

”A Revista Veja divulgou (edição 2100) pesquisa que ilustra o perfil dos jovens dos dias atuais. Durante dois meses, a publicação entrevistou estudantes, pais, psicólogos e educadores para identificar os hábitos e comportamentos que formam o jovem da era digital.

Segundo o levantamento, este público gasta, diariamente, 3 horas e 40 minutos navegando na internet - sendo que, neste período, mais de 80% do tempo é dedicado ao Orkut e ao MSN. Em menos de três anos, o índice de jovens brasileiros que acessam a web passou de 66% (em 2005), para 86% (em 2008).

Por seu caráter democrático, descentralizado e dinâmico, é a mídia que mais atrai os jovens e, desta forma, sua contribuição no processo de ensino-aprendizado não pode ser ignorado.

A internet oferece aos estudantes uma infinidade de possibilidades. De clique em clique, os alunos vão acumulando endereços, imagens e textos que se sucedem de forma ininterrupta. Entre tantas conexões possíveis, o excesso de informação pode levar a um não aprofundamento de temas, ocasionando dificuldades em escolher o que é significativo, relevante e confiável.

Neste contexto, cabe às instituições de ensino trabalhar não mais com a transmissão de conteúdos estanques, mas sim, com o desenvolvimento de competências e habilidades que permitam a estes alunos refletir, aprender a pesquisar, analisar informações e identificar a veracidade das mesmas, formar idéias, discuti-las com seus pares, enfim, colocar os resultados das pesquisas mais em confronto, de forma a questionar as afirmações encontradas.

A internet utilizada como aliada contribui para o processo de formação pessoal e profissional dos jovens. Dominar os recursos tecnológicos e intermediá-los com a aprendizagem de conteúdos multidisciplinares desenvolve competências necessárias para se inserir e manter-se no mercado de trabalho.

Atualmente, ter ou não acesso à informação processada e armazenada na web pode se constituir em elemento de identidade ou de discriminação na nova sociedade que se organiza. Desta forma, incluir estratégias de ensino que façam uso deste recurso significa preparar o estudante para o mundo tecnológico e científico, aproximando as instituições de ensino do mundo real e contextualizado.

A habilidade de selecionar conteúdos, interpretar adequadamente uma informação, fazer uma leitura crítica do meio, dominar os recursos de busca nas diferentes mídias, produzir textos e comunicar-se de forma rápida e eficiente utilizando as ferramentas digitais contribuem significativamente para formar um bom profissional.

A internet estimula a curiosidade, incentiva o trabalho desenvolvido em equipe (colaboração), promove agilidade na execução de tarefas, reduz custos e incita o senso de organização (tanto do tempo como da seleção de informações) - sem dúvida, competências extremamente valorizadas no mercado de trabalho.

Ao dedicar quase quatro horas de seus dias à internet, os jovens estão com a oportunidade de ampliar enormemente suas possibilidades de educação e formação, pois podem, por meio de cursos gratuitos, tutoriais, blogs e afins, aproximar-se de outros estudantes, trocar experiências culturais, estudar outro idioma, aprofundar conhecimentos com mestres e especialistas capazes de contribuir com novas idéias e conceitos para o trabalho de pesquisa, por exemplo.

Porém, a dedicação quase que exclusiva à participação em sites de relacionamento e programas de comunicação instantânea podem limitar a oportunidade que nossos jovens têm de absorver todos os benefícios que a aproximação via rede pode trazer.

Sendo assim, é fundamental que as instituições de ensino, e em especial os professores, fomentem um uso mais elaborado da internet, ampliando o repertório de possibilidades que a rede oferece, instituindo estratégias de ensino que promovam a aprendizagem efetiva, contribuindo para a construção de conhecimento e formação de cidadãos autônomos”.

13 outubro 2009

Dia das Crianças!!!!!!!!!!!!!! Reflexões


Feliz dia das crianças....
Acredito que o dia das crianças são todos os dias, porém a nossa sociedade vive em um mundo onde é de extrema importancia induzir o ser humano ao consumo. Em torno disso vemos cada dia mais crianças depositando a felicidade em brinquedos da ora...Lembro-me nos tempos de minha infância( e olha que não faz tanto tempo assim) que brincar de roda, pega-pega, ciranda, bate-lata, que por sinal a minha diversão prediléta, ser o nosso pote de ouro no fim do arco-irís, hoje o que resta as nossa crianças é comprar e comprar. Bom, não que na meu tempo não existisse a vontade de ganhar brinquedos, mas pelo menos dava tempo de sonhar com eles, brincar de fato quando adquiridos, coisa que hoje em dia as crianças não fazem mais, pois nem dá tempo, pois a mídia as bombardeiam a todo o tempo, hoje a criança é um individuo que consome livremente, assim como o adulto, mesmo com o fator de não trabalhar e consequentemente não terem dinheiro.

Mas no fundo o que desejo a todas as crianças de hoje... é que existam pessoas em seus caminhos que as levam a passear no mundo de sonhos e fantasias que são próprios do mundo infântil. E é esse o compromisso que quero ter como educadora....
Vanessa Bento

30 setembro 2009

Ufaaaaaaaaaaaaa!!!!fOI Cansativo mais valeu a pena....


Ufaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!
como foi difícil a aula de hoje, porém deu para aprender bastante, algo que de fato é sempre gratificante, principalmente no ambiênte virtual.Estou começando a ficar encantada com toda essa novidade que estar a minha volta nas aulas de tecnologias.
Estava resistindo a mexer no blog, pois a minha comunicação com o programa estava realmente complicada, só sabia o básico, mas com a oficina de Adna e Tânia hoje creio que será mais fácil.
Bom, a oficina ministrada por Bruno e Leila foi bacana demais, só que consigo visualisar em meu dia-a-dia mais a primeira oficina do que a segunda.
Beijokas

10 setembro 2009

Impressões...

Olá galera@,
a última aula de quarta, foi de fato bastante rica em detalhes, me deixando cheia de inqueitações.
Principalmente porque sempre enxerguei as tecnologias como algo a ser manuseiado sem muitas teorizações.
E a professora em sua aula nos mostrou que informática também é politica, nesse mundo capitalista.
Pra mim é sempre bom, ter acesso a conhecimentos sejam eles quais forem.Estou muito satisfeita com o que tenho visto.

21 agosto 2009


Olá galerinha,
Estive lendo as duas entrevistas que estão à disposição na lista de discussão, e os dois autores trouxeram questões pertinentes. Edgar Morin trouxe um ponto que me tocou e me fez pensar bastante sobre a nossa realidade. Quando o repórter lhe perguntou sobre o que achou do balé folclórico da Bahia, ele trouxe em sua resposta a seguinte frase... ”que a cultura forte resiste à globalização”. Porém me veio à questão que, apesar de nosso país ter privilégios em torno da localização geográfica, termos bens naturais imensamente grandiosos como citou este, e termos a miscigenação tão forte e tão presente em nossa cultura até hoje, com o advento dos chineses, como trouxe Serres, observo que a cultura popular resiste naqueles locais e regiões onde a tecnologia não penetra, por questões econômica, que apesar de existir bastante projetos de inclusão digital e as máquinas de uma forma geral estar sendo mais acessível para aqueles que ganham pouco, o uso das tecnologias ainda é uma realidade distante para a maioria da população, por isso muitos jovens baianos, alias brasileiros em si ainda participam de atividade que tem de a ser voltados para a valorização cultural, como as comunidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, que produzem verdadeiras alegorias durante o ano para os desfiles carnavalescos em fevereiro, e que apesar de suas participações massificas, sabemos que os “cabeças” do enredo são compostas por pessoas que tem em seus currículos vivências de estudos em espaços que os jovens de periferia não conseguem acesso.
Penso também que Serres ao se referir a nossa miscigenação ele é um pouco utópico, pois apesar de não termos comunidades declaradas dentro do nosso país como ocorre nos EUA, a nossas diferenças culturais foram sim desvalorizadas e excluídas em alguns aspectos, como é o caso dos negros em nosso país, que sua cultura só é valorizada na maioria das vezes quando se
trata da sexualidade e festividade como um todo, as suas contribuições intelectuais foram negadas e marginalizadas.Também temos os povos europeus que ao se instalarem ao sul do país construindo uma sociedade “fechada” pouco contribui para o crescimento e desenvolvimento do país, o que os torna muitas vezes em um país dentro do imenso Brasil.
Então o que vcs pesam sobre o assunto? A cultura ainda resiste, porque as tecnológias ainda não penetrou de fato para grande massa populacional, ou porque é opção do povo valoriza-lá?
Beijinhs,
Vanessa

14 agosto 2009

Aula inicial!!!!!!!!

Olá turma,


gostei muito da primeira aula da matéria, para o primeiro dia de aula aprendi muita coisa.


Espero muito aprender mais, pois sou um pouco lenta quando o assunto é tecnologias, estou muito anciosa para aprender tudo o que for discutido em sala, e darei o meu melhor para isso.


Ah, não posso deixar de falar que gostei bastante da aula com Sule, pois foi bastante atenciosa e paciênte com todos.


beijos!!!!!!!